SERÁ QUE MEU GATO ESTÁ DOENTE?

             Você tem um gatinho de estimação, e, de repente, você se depara com uma situação estranha: ele está com falta de ar, ou parece que está chorando; ou,  se for um persa, ele vomitou  um montinho de pêlo! Pronto, você se apavora, sem saber o que fazer.
            
Acalme-se, nem tudo é sinal de doença; veja quais são os casos mais comuns, e como proceder diante deles.
           
Existem as situações que não representam problemas, e que fazem parte do cotidiano e das funções orgânicas do gato; existem  as doenças parasitárias,  e também   as doenças virais; e ainda outras doenças, como problemas cardíacos e urinário dos felinos, além dos acidentes domésticos de que são vítimas nossos curiosos amigos.  Falaremos da primeira situação.
          
Todos os gatos se lambem para limpar-se. É o “banho do gato”. Se o seu gato  estiver trocando a pelagem, ou for um gato de pêlos longos,  ele estará engolindo tufos de pêlos soltos  que se acumularão no diafragma. Depois de um certo tempo, ele vomitará essa bola de pêlos. Perfeitamente normal.
           
Existe uma maneira de evitar esse processo: escove o gato todos os dias, no sentido contrário ao nascimento dos pêlos, ou seja, da cauda à cabeça; esses pêlos mortos saem na escova. Esse procedimento também estimula o crescimento da pelagem, promove a oxigenação da pele e ainda evita que  se formem nós nos gatos de pêlos longos.
            Se não puder  escová-lo todos os dias, você pode oferecer plantas (consulte o veterinário) ou pastas específicas (encontradas em Pet Shops) que ajudam na digestão dos pêlos, que serão  eliminados pelas fezes.  Não se esqueça de fazer um teste, para observar se o seu gato não é alérgico a esses produtos; o que raramente acontece.
           
Uma coisa comum é a secreção ocular, que ocorre em gatos de cara muito chata, como os persas e exóticos. O duto lacrimal é muito curto; assim, como a lágrima não tem para onde escoar, ela escorre para fora dos olhos. Isso é normal, muito comum nessas raças.  Limpe os olhos com água boricada ou filtrada, para evitar que a acidez  manche o pêlo em volta dos olhos. Existem produtos específicos para suavizar essas manchas, caso elas já existam. 
            
Mas cuidado: se a secreção estiver intensa demais, é sinal que o gato não está bem; se os olhos estiverem vermelhos e congestos, consulte o veterinário: pode ser o primeiro sintoma de uma gripe (Complexo Respiratório Felino, que falaremos posteriormente), uma infecção ocular, uma infestação parasitária (existem vermes que se alojam nos olhos dos gatos); ou ainda uma lesão na córnea, provocada por uma briga,  ou ele mesmo  se arranhou, ao limpar a carinha. Existem outras  doenças oftálmicas mais complexas, identificadas pelo veterinário.
             No verão, você perceberá algumas mudanças no comportamento de seu bichano: o calor diminui seu apetite, ele pode ficar mais sonolento durante o dia, preferindo movimentar-se à noite, quando não está tão quente.
             Se você tiver uma gata, e ela começar a rolar aos seus pés,  a andar abaixada com a cauda erguida, e a uivar como se estivesse sentindo  muitas dores, não se preocupe: ela apenas está no cio. Se for uma siamesa, ou uma gata de pêlo curto, prepare-se: provavelmente, ela gritará desesperada por vários dias, e você terá muito trabalho para segurá-la em casa. Mas, se seu gatinho for um macho com um ano de idade e começar a fazer  um jatinho de “xixi” pela casa, não se assuste: ele está chamando uma namorada. Caso você decida pelo acasalamento, tanto ela quanto o macho quase não comem enquanto estiverem juntos.
              Note bem: comer pouco é uma coisa, parar de comer é outra. Se você notar que, além da falta de apetite, ele está triste, abatido, não espere:  consulte seu veterinário. 
             
O calor também provoca uma resfolegação  que pode assustar. Não se impressione: um gato com a boca aberta, com a língua de fora e os olhos bem abertos pode estar apenas com muito calor, ou cansado de tanto correr e brincar. Procure colocá-lo num lugar mais fresco, e ofereça-lhe bastante água fresca.
             
Mas, se quem estiver ofegante for sua gata que deu cria e está amamentando os filhotes, cuidado: pode ser apenas calor, mas também pode ser um  sintoma de eclâmpsia, uma queda brusca na taxa de cálcio no organismo dela, que pode levá-la à morte. Corra ao veterinário.
             
Os gatos também pode apresentar esse comportamento numa situação de stress, o que, aliás, é muito comum em felinos: eles se stressam com muita facilidade. Mudanças de ambiente, viagens longas,  administração de algum medicamentos, cirurgias, ou qualquer coisa que contrarie em demasia seus hábitos provocam stress.  Procure minimizar isso com administração de vitamina C, que ajuda a combater o stress e aumenta a resistência dele.
              
Um gato que, repentinamente, contrariando seus costumes, começa a evacuar fora do lugar habitual, pode estar dizendo-lhe que algo não vai bem; observe-o: talvez esteja doente, ou com ciúmes de um outro amiguinho que você trouxe para casa recentemente. Nesse caso, dê-lhe muito carinho e faça-o sentir que você gosta dele, que não o está substituindo, e apenas trouxe um  companheiro para ele. Em pouco tempo, eles serão grandes amigos.
                Em qualquer situação, observe bem seu gatinho: normalmente, uma doença vem sempre associada a um conjunto de sintomas; consulte sempre seu veterinário de confiança, diante de qualquer suspeita. 

Texto: Elaine Jordão
Gatil Blaze Star